quarta-feira, dezembro 15, 2004

Viver na escuridão

Existem alturas em que parece que por mais que uma pessoa queira as coisas não correm de forma diferente, não é obrigatório que estejam a correr mal, mas não se alteram. Nos últimos tempos é um pouco assim que me tenho sentido, dá-me uma imensa vontade de me isolar, de dormir, de estar comigo mesmo, mas no entanto acabo por não responder às necessidades dos outros também e eles queixam-se, lol. Para ajudar à festa tenho um abcesso desde segunda no dente do siso que decidiu nascer há uns tempos e só me tem moído o juízo... tou tão contenti e pimba de antibiótico em cima dele. De qualquer forma penso que talvez as coisas se alterem agora devagarinho, que volte tudo ao normal de antigamente ou talvez não, talvez sejam melhores do que antigamente.
De qualquer forma queiro deixar uma mensagem importante: mesmo nos momentos em que ando assim mais aparvalhado (e bem tento evitá-los mas não consigo) eu não deixo de gostar das pessoas como sempre e peço que compreendam a minha necessidade de me isolar um pouco mais. Eu mudo muito, internamente, e às vezes preciso de espaço para essas mudanças, mesmo que exteriormente elas, na sua maioria, não se notem muito.
De qualquer forma obrigado a todos por estarem na minha vida e espero que compreendam que são muito importantes para mim, tanto como antes, mas mais ainda no futuro.
Ando viciado numa música que me foi enviada pelo Leo (thanks gajo) e aconselho a todos: Ivete Sangalo e Sandy: Se eu não te amasse tanto assim... (é linda, mesmo a versão a solo da Ivete já é bonita mas este dueto ao vivo bate tudo)
Beijos e abraços a todos!

2 comentários:

Leonardo disse...

um gémeos... a tirar um curso de psicologia... a fazer estágio... e com amigos desses (tipo eu...)... só podias ser assim :P porta-te mal, e já sabes, para pares de estalos e ombros amigos, here i am!!! ;)*

Principe Encantado disse...

Muitas vezes é bom tirar-mos umas férias de e isolarmos para fazer um balanço de nossas vidas. Gostei.
Abraços forte