quarta-feira, maio 08, 2013

Para quê forçar o inevitável?

Sempre disse que os meus 30 anos seriam em grande. Até agora não tenho grandes motivos de queixa, basicamente porque está tudo em crise portanto queixar-me de quê? Lá está.
E também a nível pessoal decidi mudar algumas coisas. Assim, parei de procurar a relação amorosa para toda a vida para procurar aproveitar a vida e viver os 30 (década note-se) como jovem que ainda sou (e sinto).
Se no entretanto aparecer alguém mais especial obviamente não fecho portas, mas simplesmente deixei de ter os portões escancarados e seguros à força de braços. Mas como acontece nas casas normais, basta tocar à campainha para, talvez, poder entrar!

12 comentários:

Aaron Suzaku disse...

acho que nunca faz bem procurar relacionamentos. eles é que nos encontram a nós :)

Michael Oliveira disse...

sim verdade, mas a questão é que muitas vezes não se deixa entrar mais nada se a intenção inicial não for para "casamento". Foi essa a alteração que decidi fazer, quem quiser entrar, deste que venha por bem, pode ter hipótese ;)

Aaron Suzaku disse...

ora nem mais, as vezes até se pode criar algo ainda mais importante que um "casamento", tipo uma amizade daquelas fortes :)

Michael Oliveira disse...

sem dúvida ;)

Anónimo disse...

Por vezes estamos demasiado obcecados nessa procura e perdemos outros momentos que poderiam ser agradáveis ...

Michael Oliveira disse...

Não quer dizer que fosse obsessão, era mais se calhar um desejo profundo. E também não acho que tenha deixado de aproveitar a vida em termos de momentos agradáveis, apenas senti pouco (ou durante pouco tempo) o verdadeiro companheirismo que acho que uma relação verdadeira (e não muitas simuladas que por aí andam), devia ter :)

Anónimo disse...

Nisso concordo, tb olho à volta e vejo que nem sempre as pessoas são felizes como querem fazer parecer ...acho que cada vez mais se acomodam e estar "só" não é fácil ....

Michael Oliveira disse...

Curiosamente acho cada vez mais fácil estar sozinho e realmente difícil estar acompanhado porque isso implica viver na tal "ilusão de relação" que já não me diz nada... mas pronto, talvez ainda não tenha aparecido a pessoa certa. Manter as portas e o espírito aberto, isso é o importante :D

Anónimo disse...

Agora não estou de acordo, estar sozinho é bom ao inicio, enquanto as feridas estão abertas, depois começa se a sentir falta do companheirismo, da cumplicidade, do amor :)

Michael Oliveira disse...

Concordemos em discordar então. Ou se calhar os dois anos e meio a que estou sozinho ainda não foram suficientes para isso ;)

Anónimo disse...

:) Se calhar não ... nada como dar tempo ao tempo!

Michael Oliveira disse...

claro, sem pressas ;)