quinta-feira, dezembro 20, 2007

Como mais vale rir...


Hoje tentaram roubar-me o carro. Tenho uma fechadura forçada e a porta ligeiramente amolgada. Mas é Natal... está tudo bem...

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Coração Apertado


Sinto o coração apertado e a esperança aos poucos a perder-se no caminho. Força Pai!
"Quer me deixar, não sei porquê
deixa eu pensar, para sei lá ver,
o que fazer para você ficar!
Sem seu amor a vida passa em vão,
se você for o que é de vidro quebra no meu coração,
seu olhar é lindo, ver você sorrindo é demais,
por favor não faz, me dizer adeus...
vai me botar a perder..."
Tenha Calma - Maria Bethânia

terça-feira, novembro 20, 2007

Apologize - OneRepublic played on piano

Uma das minhas subscrições do YouTube. Aconselho que oiçam os vários videos deste imenso talento (não tenho nenhuma formação musical mas considera que toca maravilhosamente)

segunda-feira, novembro 19, 2007

After The Rain...


... is gone you will find faith to love again
After the rain is gone there will be time to love again

Chuva


E finalmente eis que chegou a chuva. Para alguns é um momento de tristeza, para outros motivo de alegria. Eu gosto de chuva, mas só quando estou quentinho em casa... por falar nisso, tenho de ir comprar lenha para acender a lareira... é que mesmo com a chuva, está um frio do caraças!! LOL.

domingo, novembro 18, 2007

Eugénio de Andrade - "ADEUS"

Adeus

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas em esperas inúteis.

Meto as mãos nas algibeiras
e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro!
Era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.

Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes!
E eu acreditava!
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.
Mas isso era no tempo dos segredos,
no tempo em que o teu corpo era um aquário,
no tempo em que os teus olhos
eram peixes verdes.
Hoje são apenas os teus olhos.
É pouco, mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.

Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor...
já não se passa absolutamente nada.

E, no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome no silêncio do meu coração.

Não temos nada que dar.
Dentro de ti
Não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.


(Em tempos usei este poema numa peça de Teatro e sempre o adorei. Fica aqui para quem o quiser ler. É também uma dedicatória ao meu pai que era amigo pessoal deste grande poeta.)

FIquei lindo neste desenho...


Vá vá, quero pelo menos 30 comentários neste post!! Menos que isso e vou ficar muito desiludido!! E quero de toda a gente, até daqueles que eu pensava que estavam mortos... e claro, dos anónimos e de todos os outros. Estão abertas as inscrições...

terça-feira, novembro 13, 2007

sábado, novembro 10, 2007

Mesmo antes de adormecer (a 8 Novembro)

Por vezes dizem-nos coisas, ou escrevem-nos coisas, que nos ficam a "martelar" a cabeça. Li há pouco tempo (algures pelos comentários deste blog) que o caminho que escolhi devia ter sido o certo (num sentido irónico claro) já que só me queixava. A idéia ficou-me de facto na mente, tentei analisar o porquê de tal afirmação e penso ter chegado a duas conclusões principais.
1ª) tenho tendência para escrever textos depressivos ou com temáticas emocionalmente carregadas. A verdade é que são estes temas que me desafiam neste momento a escrita. Não por serem os mais difíceis, porque realmente é mais difícil escrever sobre temas alegres, mas porque me sinto mais ligado aos primeiros (e por ligado não se entenda traumatizado ou algo semelhante, trata-se mesmo de preferência). Faz isto de mim uma pessoa triste, deprimida e/ou amargurada com a vida? Bom, talvez um pouco mais cinzenta para quem me conhece por aqui. Porém existem milhares de pequenos "milagres" diários que são acontecimentos positivos na minha vida e sobre os quais não escrevo. Se calhar sou um pouco egoísta, guardo o positivo para mim. É um novo desafio que devo, e tentarei, abraçar!
2ª) Esta segunda conclusão prende-se com o referido caminho. Optei eu pelo melhor caminho? Certamente que não! Poderia ter escolhido outros? Sem dúvida que sim! Estou arrependido do qe escolhi? Não, não estou! Não é o caminho perfeito, nem tão pouco aquele que fez de mim a pessoa que sonhava ser aos 25 anos. Mas não me arrependo nem por uma vírgula. Aprendi muito no que já vivi, mais ainda com as escolhas que, consciente ou inconscientemente, fiz na minha vida. Nem sempre foram as melhores mas todas foram úteis. Parando para pensar um pouco, existem muitas coisas boas que dependeram de "más" escolhas ou acontecimentos menos felizes. Existem tantos factores que afectam a nossa vida que a classificação em boa ou má decisão me parece algo utópica. Quantas vezes uma boa escolha não se tornou na pior por factores e acontecimentos que surgiram mais tarde? A vida é imprevísivel na maior parte do tempo e é isso que faz dela difícil e em simultâneo algo fascinante. Não me arrependo do meu caminho, não me envergonho dele e, sobretudo, sinto que foi sempre fonte inesgotável de aprendizagens e bons momentos. Sim, queixo-me de muita coisa. Sim, também não estou na vida de sonho que pensava estar nesta altura. Contudo, nada disto é sinónimo de infelicidade! Tenho muitas coisas organizadas na minha vida e sinto-me muito feliz com elas e mantenho a crença que o melhor está ainda por viver. Sigo sempre uma grande máxima para mim:
"Sofre sempre por ter vivido não com o medo de viver"
Eu vivi, sofri e estou aqui! Ainda de braços erguidos e ainda a lutar por mim!
(e há que dizer, com o apoio de muita gente importante e da qual não tenciono nunca abdicar)

segunda-feira, novembro 05, 2007

terça-feira, outubro 30, 2007

Gloria Trevi - Todos Me Miran

Obrigado Gonçalo pelo link!
Nós dançámos isto em Barcelona e foi a festa... lol

David Fonseca - "Superstars"

Um dos meus companheiros na viagem de avião (viva aos leitores de mp3). Gosto do novo cd e recomendo-o a quem gosta de David Fonseca - "Dreams in Colour"

No meio das chaminés

Estava a piscar o olho ao sol lol
(Terraço de La Pedrera ou Casa Milà - Barcelona)

quinta-feira, outubro 18, 2007

Gosto desta letra...

Da Da Da Da
The smell of your skin lingers on me now
You're probably on your flight back to your home town
I need some shelter of my own protection baby
To be with myself and center, clarity
Peace, Serenity

[CHORUS:]
I hope you know, I hope you know
That this has nothing to do with you
It's personal, myself and I
We've got some straightenin' out to do
And I'm gonna miss you like a child misses their blanket
But I've got to get a move on with my life
It's time to be a big girl now
And big girls don't cry
Don't cry
Don't cry
Don't cry

The path that I'm walking
I must go alone
I must take the baby steps 'til I'm full grown, full grown
Fairytales don't always have a happy ending, do they?
And I foresee the dark ahead if I stay

[CHORUS:]
I hope you know, I hope you know
That this has nothing to do with you
It's personal, myself and I
We've got some straightenin' out to do
And I'm gonna miss you like a child misses their blanket
But I've got to get a move on with my life
It's time to be a big girl now
And big girls don't cry

Like the little school mate in the school yard
We'll play jacks and uno cards
I'll be your best friend and you'll be mine Valentine
Yes you can hold my hand if you want to
'Cause I want to hold yours too
We'll be playmates and lovers and share our secret worlds
But it's time for me to go home
It's getting late, dark outside
I need to be with myself and center, clarity
Peace, Serenity

[CHORUS]
I hope you know, I hope you know
That this has nothing to do with you
It's personal, myself and I
We've got some straightenin' out to do
And I'm gonna miss you like a child misses their blanket
But I've got to get a move on with my life
It's time to be a big girl now
And big girls don't cry
Don't cry
Don't cry
Don't cry
La Da Da Da Da Da

(Fergie - Big Girls Don't Cry)

Dores

Doem-me os olhos! Pode ser derivado às várias horas que passei em frente a este estático monitor. Ou será apenas a dor de esperar há horas que surjas num local qualquer? Pouco importa. No final o resultado é o mesmo, doem-me os olhos! Será possível que a dor dos olhos possa transpor a minha dor na alma? Sim, na verdade, doi-me a alma. Doi-me tudo e não sei bem que mais possa fazer... passo por ti nos sítios do costume, e também isso instala novas dores, novos pensamentos, um novo desgaste. Vejo-te na net. Sim vejo-te. Diferente do que eras, do que conheci. Conheci? Acho que talvez isso seja convencimento da minha parte. Nunca te conheci! Nem sequer tu te conheces. Mas estás diferente, não sei porquê, mas sinto-o. Ou melhor, vejo-o. Vejo em coisas que antigamente não terias feito e que agora fizeste e orgulhosamente mostras ao mundo. O mesmo mundo de que tanto te escondias antes... Não te percebo. Nem tão pouco percebo todos os efeitos que tens, ainda, em mim. Acho que podiam simplesmente inventar um botão de "off" que permitisse aplicação directa no cérebro das pessoas. Posso ser a primeira cobaia para esse projecto??

quarta-feira, outubro 17, 2007

Eu...

Decidi fazer um penteado um bocadinho diferente e decidi partilhar. À excepção da barba, é assim que estou agora durantes os próximos tempos...

Sentimento

Sei que lá fora acontece algo. Será o mundo que avança? Não sei como explicar a inércia que se apodera de mim. Ou devo dizer que se apoderou de mim? Estou no mesmo canto onde me deixaste cinco meses antes, as persianas continuam quase totalmente fechadas deixando apenas passar uma luz suficientemente fraca para não me ferir a vista. E o vazio. Sim, continuo com o vazio que também deixaste como companhia. Pelo menos uma vez por dia vejo o concerto que vimos na noite em que deixei de dormir para estar contigo, para "dormir" na tua cama sem que acontecesse nada mais do que dois corpos abraçados. Relembro a minha felicidade, a sensação de que tinha encontrado um entre milhões, de que a partir de agora tudo seria melhor. Uma ilusão que durou quase tão pouco como o tempo que dormi nessa noite. Vi-me acompanhadamente sozinho. Desgastado. Mudado. Vazio. Vi-me a afastar as pessoas que amava e a ouvir da sua boca que eu não era o mesmo, que tinha mudado. Mas não fui eu que mudei pois não? Eram eles que não percebiam o que nós tinhamos, a forma como tudo era intenso! Pensei até que as discussões praticamente desde o primeiro momento podiam ser um bom sinal, sinal de um envolvimento de um compromisso. Nunca o foram. Eram as tuas armas para me deitar um pouco mais abaixo, para me fazer sentir ainda mais desvalorizado, mais vazio. Criaste um vício que me consumiu literalmente até ao nível físico. Exigiste e voltaste a exigir. Mas alguma vez chegaste realmente a dar alguma coisa? Ah sim, as tuas tremendas mudanças que eu não conseguia compreender e analisar, mesmo não sendo o comum dos mortais... e no final manipulaste-me de uma forma brutal. Levaste-me a duvidar dos meus sentimentos. E olha que eram fortes, se calhar ainda o são. Levaste-me a terminar contigo o que tinha jurado a mim mesmo nunca abandonar... e fizeste-me sentir ainda pior do que já estava naquele momento. Eras a vitima abandonada com mais um drama de vida para resolver. Mas como dizer-te que os teus dramas és tu que os crias? Foste tu quem me fez desistir, foste tu que provocaste mais uma dor no teu já vasto reportório. Talvez apenas te tenhas cansado de alimentar o meu vicio...
Continuo no mesmo canto escuro onde me deixaste. Sei que mesmo assim já abri um pouco mais as persianas porque existe aqui uma luz que antigamente me teria ferido a vista! Pode acontecer que apenas tenha finalmente aberto os olhos que tão insistentemente quis manter fechados após a tua partida, após a tua descrenças em nós. Pois afirmo-te agora, nunca houve um nós. Houve um eu que tentou desesperadamente e nunca alcançou, um eu que quase se destruiu por tua causa... mas eu vi o filme antes, vi o filme nos que te são mais chegados, e no final de contas eu consegui proteger o que era mais importante. Eu protegi-me a mim como tu jamais te protegerás a ti. Adeus...

Preguiça...

Continuo a gostar de me levantar tarde (talvez associado ao facto que também gosto de me deitar a horas menos próprias). Continuo a gostar de preguiçar pela cama, a sentir o quentinho que contrasta cada vez mais com o frio que se instala lá fora pela manhã. Sou assim, sempre fui. Talvez mesmo assim tenha perdido um pouco do prazer que esta "actividade" me proporcionava ao longo dos tempos, ou apenas nestes últimos meses. Mas não deixo de gostar de dormir e que me deixem dormir.
Continuo também a não gostar de decidir. Diz um grande amigo que "a pior coisa a fazer a um gémeos é dar-lhe uma opção, impor-lhe uma escolha". É verdade. Gosto de tomar decisões na minha vida, mas aquelas que são próprias, que me afectam apenas a mim! Gosto pouco de decidir a vida dos outros e como me adapto bem a quase tudo prefiro que sejam os outros a escolher. Não significa falta de personalidade acho eu, porque sinto que tenho até uma personalidade relativamente bem definida. É apenas uma coisa que não gosto de fazer...
Continuo a gostar de escrever. Faço-o menos aqui contudo. Não por nenhum motivo em especial ou talvez apenas porque comecei a não gostar tanto de me expor ou simplesmente porque nem sempre consigo escrever coisas que não sejam depressivas. Mesmo que nem sempre seja esse o estado de espírito. Por vezes as palavras parecem não me sair com tanta facilidade como há uns meses atrás. Pode ser que o meu espírito esteja um pouco mais em paz...
Também estou, como sempre, ligado à música no que se pode chamar numa óptica do utilizador (sim, aqui seria mais correcto dizer do consumidor, mas eu sou utilizador de música, tem finalidades terapêuticas).
Tenho projectos que não vou divulgar, tenho ambições que não sei se consigo alcançar, tenho uma vida acima de tudo. Ainda assim, passado tanto tempo, continuo com a sensação que me falta uma parte de mim...

quinta-feira, outubro 11, 2007

terça-feira, outubro 09, 2007

quarta-feira, outubro 03, 2007

Descanso


Porque às vezes a vida exige-nos um simples banco de jardim afastado do resto do mundo...

A ti...

Pediste-me que fosse feliz. E eu tentei. Mas como ser feliz se na pintura falta sempre uma tonalidade qualquer? Fiz um esforço. Caminhei. Caminho até agora sem saber bem onde chegar ou qual será realmente o meu destino. Não desisti, nunca parei. Porque te prometi que seria feliz. Fazes-me falta, faz-me falta a tua orientação e o teu carinho. Fazem-me falta as horas que deixei de estar contigo para ir brincar com o vizinho da frente. Faz-me falta a familia que mantinhas e que nunca mais soubemos ser. E será que te desiludi? Será que desse lugar onde agora estás consegues sentir orgulho do que fui, sou, ou ainda serei? Fico na dúvida. Duvido porque eu próprio me esqueço desse orgulho que devia ter cá dentro. Por vezes esqueço-me de me proteger. Sim é dificil aceitar as situações que me magoam, que me levam um bocadinho mais perto da loucura que não cheguei ainda a sentir. Será vergonha dizer que me sinto um pouco só? Sinto-me estranho por neste momento existirem tantas pessoas e mesmo assim continuar a sentir-te terrivelmente só. Porque eu vejo o mundo de uma forma diferente ou tão simplesmente porque eu não desisti, e mesmo sem saber bem para onde ir, continuo a caminhar no dia-a-dia. Fazes-me falta. Se outra razão não existisse pelo simples facto de não estares aqui!

segunda-feira, outubro 01, 2007

Para que não restem dúvidas... eu admito!!

"Ter-se a consciência de que se é ignorante constitui um grande passo na direcção da sabedoria"
Benjamim Disraeli

sábado, setembro 22, 2007

Inverno


Não sou fã do Inverno mas continuo a gostar de vestir a roupa típica da altura. De alguma forma sinto-me mais aconchegado...
Nas cores escuras que são a tua marca
eu escondo o mais frio dos sentimentos.
E enquanto sigo o meu caminho vou deixando traços,
imprimindo marcas na neve que te cobre.
E de alguma forma sei que te admiro
vivo as tuas tonalidades mais sombrias
e sinto o vento frio com que contrarias os meus passos.
Os dias que passam devagar escurecem mais depressa
e na minha alma adormecem muitas emoções.
Emoções deixadas pelas outras estações,
por outros acontecimentos já passados.
Guardo todos e carrego-os comigo
fazem parte do que sou e do que serei
e juntamente com a tua tristeza
eu construirei a minha solidão...

segunda-feira, setembro 17, 2007

Li, Gostei e Plagiei

(não sei o autor e peço desculpa à pessoa de quem o roubei... lol)

"E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas ilusões de que tudo podia ser meu para sempre."

domingo, setembro 16, 2007

Horas...



A noite vai tomando conta do meu ser que adormece,

ser que devia ter repousado há tanto tempo!

Mas dos segundos vieram minutos

e dos minutos se fizeram horas...

Horas em que recordo o que não devia e não durmo

um tempo infinito contabilizado num leve tic-tac


E vou-me afundando.


Vivo nesta ambiguidade terrível que me consome,

preso no que devia ter feito e não fiz

preso no que deixei de viver e destruí.

Num caminho que estava traçado e eu não vi!


E vou seguindo.


Um pouco sem destino, sem rumo

numa rota quem nem sempre sei se escolhi.

Adormeço, ou pelo menos sei que o corpo sucumbiu.

A alma, essa vagueia pelas brumas

na esperança de talvez um dia encontrar uma nova luz.

E aqui fico eu, aguardando que chegue esse novo dia...




É assim que me sinto por dentro...


Sinto-me num mundo infindável de obras interiores que não acabam. Que avançam e recuam e nem sempre a níveis equivalentes. Lembra-me aquelas obras que nos dizem que vão demorar um mês e acabam por se arrastar por seis ou sete... será preciso tanto tempo?
Sei que não devia expôr tanto aqui de mim. Sei que de alguma forma me fragiliza. Sei que já afastou de mim pessoas (a elas peço desculpa, mas por vezes esta é a única forma que sei). Continuo a conseguir trabalhar melhor a minha comunicação e a minha emotividade por palavras escritas. Não sinto medo. Talvez eu apenas seja timido, talvez seja medroso e não goste de enfrentar as pessoas, talvez simplesmente me custe demais.
Faltam-me coisas na minha vida e nem sempre sinto ter realizado as coisas que sonhei. Talvez não seja tarde, mas sinto-me dorido. Magoado. Sim, talvez eu não devesse expor aqui tanto de mim (não deveria nunca ter falado de nós, talvez...), mas eu não consigo não falar dos meus sentimentos. Não os consigo calar e eles não passam só porque sim. E sim, acima de tudo magoa-me que tenhas deixado de acreditar em nós quando eu, apesar de toda a valorização que não sentia (fosse ela real ou apenas falha minha na sua percepção), continuei a acreditar...
Existe algum local onde se possa esconder um alma? Existe algum local onde simplesmente possamos desaparecer? Existe alguma forma de não ser tão sensível a tanta coisa? Um local banal onde eu possa simplesmente ouvir a tua voz...

sábado, setembro 15, 2007

Amanhã Talvez

Uma música que me habituei a ouvir de pequenino por causa da minha mãe. Deixo-vos um bocadinho da letra:

"... É, quando se ama a gente finge que não vê
Que o tempo passa e mais um pouco de você
Melhor assim, bom pra você, melhor pra mim
E amanhã quem sabe a gente outra vez..."

quarta-feira, setembro 05, 2007

...

Peguei no livro e sentei-me para o ler calma e confortavelmente recostado no sofá. Sei que lá fora o mundo avançava pelos barulhos que me chegavam pela janela aberta mas não os via devido à persiana corrida até abaixo, apenas com os buraquinhos para "respirar". Estava numa pernumbra agradável, apenas com a luz suficiente para me embrenhar no livro aberto à minha frente, pronto para me deixar levar na história e viver cada momento como um acontecimento real da minha vida. E de repente apareceste tu. Vindo não se sabe bem de onde nem porquê. Entraste sem pedir licença e por mais que desejasse sabia que não partirias facilmente. E então fui invadido pela melancolia, pela saudade. É realmente curioso que tenhamos saudades de momentos em que não eramos felizes, nem sequer nos sentiamos completos. Mas cá estou eu novamente preso a ti. Faço um esforço, já que invadiste o meu espaço, para me lembrar de coisas boas, de bons momentos que passámos juntos. Temos alguns, reconheço finalmente. Não muitos, mas alguns. E sorrio. Tento imaginar como estarás agora, mais magro, mais gordo? com melhor ou pior aspecto? mais feliz, mais triste? Não importa. Pelo menos não agora. Lembro-me das noites deitado ao teu lado e olhar para os buracos da persiana através do cortinado, imaginando que não desejava que começasse um novo dia porque assim não teria de sair do teu lado. Lembro-me do teu braço por cima do meu corpo, do teu cheiro. Lembro-me de te fazer festas no cabelo, de te beijar as costas. Lembro-me do meu amor por ti! Olho a capa do livro e pouso-o na mesa da sala, passou-me a disposição para a leitura. Pego no leitor de mp3 e oiço música. Estendo-me novamente no sofá de onde tinha saído e estico-me até encostar a cabeça num dos braços. Perco-me no espaço e no tempo. Viajo. Sinto que algo quente desce pelas minhas faces mas ignoro. Continuo a minha viagem. E volto então ao ponto de partida. Abro os olhos e descubro que já é noite, evaporou-se a luz que anteriormente cubria a sala de sombras. Penso um pouco mais em tudo o que aconteceu no tempo em que vivi por ti e para ti. De forma geral aprendi a minha lição e não me arrependo. Volto a sorrir porque no final chego sempre a uma única conclusão: é uma pena que não tenhas sabido aproveitar o meu amor...
Voce desperdiçou o amor
partiu e nunca mais ligou
Voce me complicou, usou
fugiu com a minha paz
é assim, so ilusão
a sina de quem ama e se entrega á paixao
destinos que se atraem
pra desencontrar
segredos que se escondem
pra tudo acabar
Voce desperdiçou
a sua indiferenca calou a paixão
(Excerto de Desperdiçou - Sandy & Junior)

quinta-feira, agosto 23, 2007

Recebi um prémio...



Pois é, diz que recebi este prémio da Loira mais linda do planeta (ver http://conversadeloira.blogs.sapo.pt/). Desde já o meu obrigado!! Os meus nomeados, e partindo do pressuposto que não vamos nomear blogs já premiados são:




Celticlight

To-Act

Para conhecer melhor o processo desde prémio e cumprindo com as regras estabelecidas consultem o site do Mike (não, não sou eu lol).

quarta-feira, agosto 22, 2007

The end...

When I wake up each morning
Trying to find myself
And if I'm ever the least unsure
I always remind myself
Though you're someone in this world
That I'll always choose to love
From now on you're only someone
That I used to love

As for me It's getting down to the last
Unspoken part
When you must begin to ease
The pain of a broken heart
Tell me why should I even care
If I have to lose your love
From now on you're only someone
That I used to love

I wish it was enough for you
All the love I had to give
And I did my best
To keep you satisfied
I guess you'll never know
How much I tried
I really tried

And if ever our paths
Should cross again
Well, you won't find me
Being the one to get lost again
Once I had so much to give
But you just refused my love
From now on you're only someone
That I used to love

And I did my best
To keep you satisfied
I guess you'll never know
How much I tried
I really tried

When I wake up each morning
Trying to find myself
And if I'm ever the least unsure
I always remind myself
Though you're someone in this world
That I'll always choose to love
From now on you're only someone
That I used to love

From now on you're only someone
That I used to love
Though you're someone in this world
That I'll always choose to love
From now on you're only someone
That I used to love

From now on you're only someone
That I used to love...

(Barbra Streisand - Someone That I Used to Love)

terça-feira, agosto 21, 2007

Surpresa!!

Adoro descobrir que pessoas que supostamente estão tão disponíveis para tudo nos bloqueiam no msn... já agora, eu e o meus estamos vivos, obrigado pelo preocupação...
.
A essas pessoas o meu obrigado e um desejo de toda a sorte no mundo :)
(e só um ligeiro àparte, a idade devia fazer mais do que criar cabelos brancos..., mas é só uma opinião, lol)

2 sentimentos...



sexta-feira, agosto 17, 2007

Dedicatória aos dias que passam

Oiço pelo vento a tua chegada tão esperada,
os dias passam devagar aqui longe do teu toque,
como se nada mais houvesse no mundo para mim.
Mas oiço-te agora um pouco mais perto.
E cada minuto é repleto de uma terna ansiedade,
de uma nova esperança, um novo alento.
Anseio por cada nova mensagem e pelos dias...
os dias que teimam em não passar.
Mas talvez até eles sejam uma benção para nós,
criam mais expectativa, mais desejo.
Vou olhando o mar e pensando em ti
em como era bom ter-te aqui um pouco mais próximo.
Sinto-te porém bem mais perto do que antigamente!
Sim, o vento anuncia-me a tua chegada finalmente.
E definitivamente os dias estão a encurtar
agora oiço-te aqui ao pé de mim...
E como chocolate eu derreto nas tuas mãos,
num toque aveludado, desfaço-me nos teus lábios
e desejo que nunca mais existam dias entre nós...

quinta-feira, agosto 16, 2007

Poema solto

Ao fundo oiço o mar pacifico
numa tonalidade de mil cores.
Oiço os passos que brandos se aproximam
como quem trás a calma e serenidade.
Sinto a tua mão que toca, explora,
que entra no mais profundo da minha alma.
Sei que tencionas retirar-me a dor mas...
tenho medo, luto um pouco contra ti.
Afinal o que ficará se me roubares o desalento?
Não tenho coragem necessária para partir...
É que a felicidade poder ser tão cara para manter.
Empurras-me como quem impele, obriga, a avançar
deixas-me sem qualquer tipo de retorno.
Tenho medo, sei como é dificil voltar agora,
voltar a abrir o meu coração e alma,
dificil abrir asas e voar...

Vai um bocadinho??


Tem sido o meu companheiro de Verão. E eu que estava quase sem borbulhas... lol

quarta-feira, agosto 15, 2007

Só para fazer inveja...


A foto mais ousada que já alguma vez publiquei lol. Mas que se lixe, é para mostrar o bronze... e agora ainda estou mais "preto". LOL

sexta-feira, agosto 10, 2007

Uns dias em Espanha...

Regressei de uns dias em Espanha, mais precisamente em Punta Umbria (Huelva). Duas conclusões principais. É bom descansar e fazer praia. O povo espanhol é esquisito e não são nada bonitos (com raras excepções claro...).
Paro agora por terras algarvias, na minha tão bem conhecida terra de beira mar, Portimão. Espero continuar a trabalhar para o bronze (que diga-se de passagem até já está bem giro) e comer muitos gelados!! Claro que vou também tentar rever amigos e colegas de escola, sim porque eu já morei aqui!! lol. Se alguém vier para esta bandas avise para se tomar um cafézito!!
.
Nini e Pedrocas (posso chamar-te assim?? lol):
Obrigado pelos votos de boas férias, prometo dar uns mergulhos por vocês. Querem algo das terras algarvias?? Agradeço também os elogios ao meu sorriso Pedrocas :))
.
Portem-se todos bem e aproveitem tudo ao máximo... eu continuarei a fazer o meu retiro espiritual, a minha cura...

quarta-feira, agosto 01, 2007

Fim de Semana fora...

Este fim de semana que passou fui passa-lo fora com quatro pessoas especiais na minha vida neste momento. Estão na minha vida de formas diferentes e com "pesos" diferentes mas para todos dedico esta frase:
Nenhum caminho é longo demais quando um amigo nos acompanha.
(Autor desconhecido)

E para um deles em especial por vários motivos:
Um irmão pode não ser um amigo, mas um amigo será sempre um irmão.
(Demétrio)

terça-feira, julho 31, 2007

Ainda não, mas falta pouco...


Viagem

Fui para longe. Para longe de ti e do que tivemos. Fui para longe. Tentei permitir à minha mente que vagueasse pelas coisas positivas que não consigo ver estando aqui. Fugi. E da fuga não houve qualquer resolução. Estagnei neste sentimento que me prende a ti e mantenho feridas abertas que há muito devia ter fechado. Chorei. Sentado na varanda de minha casa a ver o mar, num calor abafado às três da manhã. Olhei a lua. Pensei no número de vezes que desejei trazer-te até aqui, pensei em como tudo o que vivi nesta minha fuga deveria ter sido partilhado contigo. Morri. Ou talvez não. Morreste tu. Ouvi ao longe o mar e senti-me embalar no seu ruído, enebriado pelo seu odor salgado que chegava à minha varanda. E parti. Parti para um outro mundo de onde não tenciono mais voltar, um lugar demasiado distante para que o possas alcançar porque descobri com a morte que só ela não é possível de curar...

Ora bem... diz que fui desafiado...

1 - Faça o que fizer nunca nada é perfeito...
Descobri ao longo do tempo que não existe uma forma "correcta" de viver ou iniciar uma relação. Se vamos depressa é porque vamos depressa, se vamos devagar é porque vamos devagar e, num ou noutro caso, o resultado final acaba por ser sempre o mesmo. Aplica-se também à parte de expressar sentimentos, alturas houve em que não os expressava e então fazia com que a cara metade tivesse de "adivinhar", outras alturas houve em que os expressava de mais e melindrava quem estava comigo... ando a tentar chegar ao meio termo mas expectativas?? É como diz o outro, só depois do jogo...
2 - Quando era criança pensava que por esta altura já seria rico...
Ahhhhh a doce inocência dos tempos de criança. Acreditava plenamente quando era puto que nos meus vinte e picos já seria rico e importante, tudo para poder ajudar a humanidade e ser muito caridoso... pois é, qualquer dia ainda ando a pedir caridade para mim LOL.
3 - Continuo à espera de poder decidir a minha vida!
Pago uma casa, pago um carro e todas as despesas inerente e continuo com uma estranha sensação de que nunca sou bem eu que decido a minha vida. Porque normalmente me comunicam o que vou fazer e como vou fazer... Felizmente já consigo ao menos decidir que os posso mandar todos para o diabo que os carregue lol. Mas mesmo assim... tenho de aprender a dizer que não.
4 - Já fui mais disponível...
A idade oferece-nos vantagens e desvantagens, mas existem algumas coisas que tenho dificuldades em classificar nestas duas categorias. Por exemplo, sinto que já fui mais disponível para viver os problemas dos outros, hoje falta-me tempo e paciência. Mas isto é uma vantagem ou uma desvantagem? é que embora sinta que falho um bocadinho na empatia que deveria ter, também é verdade que não me levo à exaustão emocional de andar com o mundo às costas... Ok ok, vou tentar outra vez o meio termo...
5 - Amor
Hum... é um facto muito "casual" na minha vida. Raramente acontece e quando acontece é para me deixar de rastos. Acho que deviam inventar um comprimido que proíbisse a existência deste sentimento. Ou pelo menos que ensinasse uma pessoa a estar preparada para tudo o que implica (pronto, tá bem, estou a brincar...). Mas mais a sério, gostava mesmo muito que ele entrasse e ficasse na minha vida de uma forma um bocadinho mais duradoura (é claro que falo do amor romântico, o familiar felizmente tenho, às vezes até demais...)
6 - Doenças
É um tema algo mórbido mas com o qual tenho de brincar. Estão presentes na minha vida familiar de forma quase regular. E, mais raramente, até mesmo fora dela. A maioria são doenças comuns ou pelo menos com as quais se pode viver. Venha daí a bela renite alérgica ou a bela da escliose. Infelizmente lembram-se por vezes de aparecer outras marotas e que nos desgatam muito, mas como gosto de pensar... estamos cá para vos tramar!!
7 - Um exemplo de vida...
Já me dizeram que sou um exemplo de vida, que sou uma pessoa com muito potencial para ser feliz e bla bla bla. Ponto número um, exemplo de vida??? Ok, tenho 25 anos e tenho uma casa alugada e um carro e nunca chumbei um ano. Big deal, bem vindo à vida de pelo menos 50% das pessoas que conheço e com quem me dou. Chama-se seguir um caminho e não ser um exemplo de vida (para mim um exemplo de vida é uma Madre Teresa ou alguém que realmente faz algo que "mude" o mundo para melhor). Ponto dois, Potencial para ser feliz?? Existe um potencial para isso?? Bolas, tenho de ir procurar os manuais de como ser feliz para ver onde é que isso existe e como se controla. Tanto potencial e tão pouco usufruto... deve ser por isso que vou continuando sozinho LOLOL (ok pronto, agora foi um bocado pessimista mas eu preciso de férias e não param de me lixar a vida e de me atrasar a partida para longe daqui...)
Os seguintes...
Quem quiser, não me apetece pensar ou dizer nomes...

quarta-feira, julho 25, 2007

Uma música que adoro...

If I Didn't Love You


If I didn't love you
I'd be safe from harm.
I would never find myself
Lost inside your arms.
If I didn't love you
I'd never feel the pain
Of sunny days without you
Drowning in the rain.
If I didn't love you...


If I didn't love you
Peace would rule the day
All the dark and out would surely go away.
If I didn't love you
I wouldn't pay the cost
Of living every endless day
If our love is lost.
If I didn't love you...
If I didn't love you...


And yet you make me breathless
At the way you move
I never knew that i
Could ever love the way we do.
I don't know how you reach me
In that place in my heart
Belonging to only you.


If I didn't love you
I wouldn't lose control
The danger loving brings a word
Never touch my soul.
If I didn't love you
Perhaps I wouldn't die.
If you should ever say to me
I'm sorry, goodbye.
If I didn't love you...


How can there be music
In the way you touch?
I can't believe that somehow
I believe in you so much.
Now you've come and taught me
How to give you my heart.
And make me feel at last
That the end will never start.
You're the only reason
I'm not afraid to fall.
For if I didn't love you...
If I didn't love you...
I wouldn't love at all.

quarta-feira, julho 18, 2007

Desculpem mas não resisti a este...

Your Personality Profile
You are nurturing, kind, and lucky.Like mother nature, you want to help everyone.You are good at keeping secrets and tend to be secretive.
A seeker of harmony, you are a natural peacemaker.You are good natured and people enjoy your company.You put people at ease and make them feel at home with you.

sexta-feira, julho 13, 2007

Pensamento do dia...


"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-se do sofrimento, também perde a felicidade."

Mary Cholmondeley
Escritora Inglesa(1859-1925)

quinta-feira, julho 12, 2007

Memória

Olho para a foto, nela reconheço a minha cara mas não sei quem és tu que estás a meu lado. Mas deves ter sido alguém importante porque me apareces numas quantas mais que tenho aqui num album escondido. Na verdade nem sei porque tenho este albúm escondido, mas agrada-me a ideia de ter um segredo que seja só meu. Na foto estou a sorrir. Sem dúvida foste alguém importante para mim embora denote no meu próprio sorriso que nem tudo corria a cem por cento entre nós, há também alguma mágoa no brilho dos meus olhos. Vejo atrás de nós um forte e uma grande extensão de mar. Eu adoro o mar sabias? Ainda hoje é das coisas que mais me acalma. Deve ter sido um belo passeio este que fizemos os dois. Noto que és um pouco mais baixo que eu e mais do que beleza tens um enorme charme. Ainda hoje seria capaz de me apaixonar por ti não fosse este quarto pequeno de hospital em que habito. Ou será um lar? Pouco importa, é claustrofóbico de qualquer das maneiras. Olho novamente a fotografia. Sim, apesar de tudo era feliz e novo. Devia ter uma idade a rondar a casa dos vinte ou vinte e cinco. Como foi que desde então tinha passado uma vida? No minimo aquela fotografia teria uns cinquenta anos. Se ainda fores vivo deves ser mais velho do que eu, tens um ar mais carregado nas fotos que aqui tenho no meu colo. Gostava de me lembrar do teu nome, mas ultimamente a minha memória tem muitas falhas, por vezes nem me lembro bem como se fazem as coisas mais simples. Fico magoado como isso de vez em quando. Não é agradável sentirmo-nos assim tão diminuídos. Mas nesta foto eu era jovem! E devia ter imensa energia. Como será o teu nome? Sei que foste importante para mim mas estás esquecido nos recantos da minha memória... A porta do meu quarto abre-se e entra uma enfermeira. - Então Sr. Oliveira como vai isso? Olho para ela com um ar que sei demonstrar aflição. - Ainda bem que chegou menina, preciso de ajuda para fazer o jantar, ele deve estar mesmo a chegar! - Ele? Mas do que é que está para aí a falar? Mostro-lhe a foto. Ela faz um sorriso algo constrangido. - Venha lá deitar-se vá que precisa de descansar. Ela dirige-se para a porta e olha sorrindo para trás, no seu pensamento habita a tristeza por aquele velhote ali deitado, que ninguém visita desde que ali entrou, estar novamente num momento de delírio. Sabe que é assim mesmo que funciona esta doença e lamenta a situação, porque na foto realmente ele parecia tão novo, tão feliz... ninguém diria que ia acabar sozinho numa cama abandonada de um lar...

o adeus...

Olho para ti e sei que já não há a vida que anteriormente aí existiu. Olho-te impotente, abandonado ao teu destino sem possibilidade de intervenção, sem muito que possa fazer para te auxiliar... deixa de haver à tua volta o brilho da energia, aquela que me fazia acreditar que ficarias sempre por aqui, sempre perto. E sei que no meu intimo me sinto perdido perante a ideia de não te ter presente, de perder as tuas orientações. Volto a ser o menino pequeno e inseguro que era quando te conheci, quando abraçaste com alma e coração a árdua tarefa de me educar. Fizeste de mim teu filho e amaste-me mais do que aqueles que verdadeiramente o são. E tentei sempre desempenhar a minha parte, tentei ser o melhor filho que alguma vez consegui ser, sempre meigo, sempre atento, sempre o "bom rapaz". E muitas vezes discutimos e muitas vezes me senti diminuído, mas tudo isso fazia parte do meu processo de amadurecimento...
Acho que ganhei ao longo deste ano, ou talvez desde do meio do ano passado, uma capacidade estranha para chorar. Choro muitas vezes por antecipação. E antecipo verdadeiramente a tua partida. Sim, este é o meu ano de perdas. Espero que não seja o ano em que me perca de mim... Sei que de alguma forma já abandonaste a luta, consigo vê-lo no teu olhar, na tua falta de apetite, na pouca mobilidade, no adormecer quase imediato assim que te encostas ao sofá, no abandonar das tarefas diárias que antigamente significavam tanto para ti. Percebo que queiras ficar em paz, que queiras o descanso, afinal foram já tantos anos de luta... mas compreende que quem cá fica é egoísta e não te pode deixar partir sem um pouco de luta, nem que seja só com o objectivo de dar um pouco de alento aos nosos corações. Eu sei, mais do que os outros, que agora há que respeitar os teus sentimentos e dar-lhes espaço para se expressarem mas perdoa-me não conseguir apenas segurar-te a mão para deixar-te ir...

segunda-feira, julho 09, 2007

Frases de músicas

"I'd rather be alone
Than unhappy"

"I tried to live alone, but lonely it's so lonely, alone
So human as I am I had to give up my defenses"

"Where did I go wrong, I lost a friend
Somewhere along in the bitterness
And I would have stayed up with you all night
Had I known how to save a life"

"If I lay here
If I just lay here
Would you lie with me and just forget the world?"

"Please, don't let this feeling end,
It's ev'rything I am,
Ev'rything I wanna be"

"Where do I begin to tell a story of how great a love can be,
the sweet love story that is older than the sea,
the simple truth about the love she brings to me?
Where do I Star?"

Comentários...

Começo a achar estranho que ultimamente se virem para mim e me digam:
"tu tens tudo para ser feliz!! vais ter um futuro fantástico!!"
Sou só eu que estou cego ou não sei realmente o que quer dizer ser feliz? Ou será que o mundo todo sabe de algo que eu estranhamente ainda não descobri??

domingo, julho 08, 2007

Sensations

Sempre houve em mim um encanto secreto pela tua magia. Sinto-te correr em mim sem saber como te chamar, como te aclamar. És parte do meu todo sem que saiba como te usar a meu favor. E fascinas-me. Como a criança que vê um peluche pela primeira vez ou que faz uma grande descoberta. Respeito-te. Ao contrário de muitos que te temem. Tenho a certeza do teu potencial e da imensa harmonia que existe em ti e naqueles que te dominam. És senhora de grande energia, responsável pelos variados equilibrios que tentam manter o mundo. Não te invejo a sina, a luta constante contra um ser que tão arduamente se tenta destruir. Tu és mãe, és Deusa. És aquela a quem dedico a minha pouca fé. És princípio e fim. És o que mantém a chama viva...

sexta-feira, julho 06, 2007

You Are Teal Green

You are a one of a kind, original person. There's no one even close to being like you.
Expressive and creative, you have a knack for making the impossible possible.
While you are a bit offbeat, you don't scare people away with your quirks.
Your warm personality nicely counteracts and strange habits you may have.
Your Psyche is Blue

You are deeply emotional and very connected to everything (and everyone) around you.
By simply understanding other people, you are able to help them heal and let go.
While you are a very deep and thoughtful person, you do have a very silly, superficial side.

When you are too blue: the weight of the world's problems hangs over you

When you don't have enough blue: you lack perspective and understanding



Your Seduction Style: Ideal Lover



You seduce people by tapping into their dreams and desires.

And because of this sensitivity, you can be the ideal lover for anyone you seek.

You are a shapeshifter - bringing romance, adventure, spirituality to relationships.

It all depends on who your with, and what their vision of a perfect relationship is.

quinta-feira, julho 05, 2007

Johnny Weir Montage - Any Other World [Mika]

Porque gosto da música, porque gosto de patinagem artistica, porque sim!

Verão

Lembro-me de dias assim em que tudo parece tão correcto como o pôr do sol. Lembro-me que era assim que me sentia o ano passado no final deste mês que agora iniciamos...
Tenho saudades dos tempos da inocência, dos tempos da felicidade ignorante de criança, tenho saudades simplesmente porque não posso ter, e a saudade é um pouco mais do que o sentimento egoísta sobre algo que perdemos...
Pus os pés na areia e toda a vida correu em mim. Trouxe-me à memória momento e partilhas, recentes e mais antigas. Trouxe-me a alegria e a tristeza, trouxe a nostalgia amiga... Deite-me ao sol e apaguei para o mundo. Deixei-me levar num sono calmo, envolvente, com o mar como música de fundo. E era assim que gostava de ficar. Longe. Longe de tudo aquilo que não posso ou consigo controlar. Do que me causa dor e, até por vezes, do que me causa demasiada alegria.
Lembro-me do dia em que tive a confirmação de uma má notícia. Não houve choque, não houve surpresa. Durante o dia tudo correu como normalmente, até talvez com redobrada energia. E no final do dia veio o que o dia conseguiu calar. Ao falar com duas pessoas tudo o que havia contido explodiu, saiu em agonia. E tu levaste com a minha mágoa e foste mal tratado. E tu levaste com a minha compaixão, a compreensão que durante anos me faltou compreender do tipo de amor que transmitias. Estou desadequado a este mundo, estou desenquadrado desta pintura que tem demaisadas cores para a minha compreensão... Can I just be normal for a bit??

segunda-feira, julho 02, 2007

Espaços

Agarrou-lhe as mãos que há tanto tempo não tocava. Recordando-se de cada sensação que aquele toque lhe trazia, as memórias... olhou-o nos olhos perdendo-se naquela alma que não conseguira tocar da forma que sempre desejou. Por um momento houve dor no seu peito, a sensação de angústia pela situação inacabada, pelo tanto que sentia que ficara por dizer. Mas passou. Porque descobrira que no fundo a sua crença não estava errada. O amor era suficiente e podia vencer tudo, vencia incluisivé a sua mágoa. Retornou ao seu olhar expectante. Tocou-lhe a cara numa carícia tão comum no antigamente, a mão em concha que deslizava da altura dos seus olhos até culminar no movimento quase rente ao queixo. Pareceu-lhe que por momentos ele se aninhou na sua mão, mas podia ser apenas imaginação, um reflexo de um desejo seu. Então houve o sorriso que ele gentilmente lhe entregou. Pensou para si em como era incompreensível a sua situação, que o tempo não levasse a mais lado nenhum. Pareceu-lhe que todo o mundo parara, um segundo que a si lhe parecera uma eternidade! Então percebeu que ali não havia mais nada a fazer. Por mais tempo que passasse, por mais anos que a sua vida lhe oferecesse aquele seria sempre um grande amor, aquele seria sempre um mundo inteiro de significado, uma fonte interminável de saudade...
Não agradeças o que não tem agradecimento possível e não penses por um segundo que te esqueci... no meu coração o sentimento manterá sempre a mesma intensidade e se algo mudar será a minha forma de lidar com a situação. Parabéns ao tu...

quarta-feira, junho 13, 2007

parte (2)










Uma recordação dos meus anos (1)















Shakira - Don't Bother

Porque gosto da música e porque não pode ser só a gozar com a senhora...

Shakira Parody

O meu favorito há mts anos lol

Christina Aguilera - Beautiful (MAD TV parody)

Mt bom!

Shakira - MadTV - Translation (Objection Parody)

LOLOL

Jogo dos 7...

E como um desafio é um desafio, cá vai...

7 coisas que tenho que fazer antes de morrer:

- viajar a sítios que já fui e que nunca fui
- Escrever um livro (e de preferência editá-lo)
- Voltar a tomar banho na praia à noite (de preferência nu)
- fazer um mestrado
- fazer um doutoramento
- aprender mais línguas
- encontrar o "amor da minha vida" (se não tiver já encontrado e perdido por aí algures num canto escuro)


7 coisas que mais digo:

- pronto
- neste caso
- hum hum
- millenniumbcp (pois é...)
- bom dia, boa tarde ou boa noite (depende do horário que esteja a fazer na semana)
- amo-te (quando assim se justifica...)
- então

7 coisas que eu faço bem:

- sorrir (das poucas coisas que normalmente me elogiam)
- ouvir os outros (embora ultimamente com menor capacidade confesso)
- massa com atum (receita que me foi ensinada pela Cris :)))
- sexo (há que ser sincero... peço desculpa aos mais sensíveis)
- pose para fotografias
- dormir e ser preguiçoso
- estudar e apresentar trabalhos (afinal esta última era o que mais gostava na faculdade...)

7 coisas que eu não faço:

- Ser mau intencionalmente (não estou isento de culpas e também sou de vez em quando mas nunca de forma premeditada)
- não reparar nas pessoas (isto é, perceber se estão bem ou mal)
- recusar-me a ouvir quem precise de ser ouvido
- bem a mim mesmo (devo ser do pior que consigo para mim porque estou sempre a magoar-me, lol)
- humilhar-me (às vezes tb acontece de forma não intencional)~
- deixar de ler ou ouvir música
- violência (sobretudo física, tenho fobia mesmo)

7 coisas que me encantam:

- a música e a literatura
- uma criança a rir e a brincar
- o mar
- praia no inverno
- amar e ser amado
- um abraço (ou qualquer outra manifestação de carinho)
- que me surpreendam (já me conseguiram fazer chorar...)

7 coisas que odeio:

- violência
- não compreender decisões e atitudes nas pessoas que amo
- que me humilhem ou pensem ser melhores que eu
- a estupidez gratuita
- confusão quando preciso de paz e paz quando preciso de confusão
- sentir-me magoado e não conseguir esquecer (adorava conseguir fazer format ao disco da memória)
- situações em que não sei o que fazer e a situação já por si é negativa (junte-se a isto um total sentimento de desorientação)

7 amigos para continuarem o jogo:

- todos aqueles que quiserem... não obrigo ninguém...

terça-feira, junho 05, 2007

Travel...

Abriu a janela do carro e deixou que a brisa o envolvesse numa viagem. Parecia que tinha sido ontem que tinha saído daquele prédio, daquela casa... a cena repetia-se na sua cabeça vezes e vezes sem conta. Perdia-se, tinha consciência do ciclo, mas simplesmente não o conseguia quebrar. Agora o vento sabia-lhe bem, representava o tipo de liberdade que sempre gostara, o espírito livre para partir e viajar por tantos locais ainda inexplorados. Apesar de tudo sentia-se bem, ou existiam momentos em que se sentia bem. O estado de espírito não era ainda uma constante, mas alguma vez o fora realmente? Regressou parcialmente da sua divagação puxado pelos acordes de uma música familiar. Escuta a letra sentindo que ela faz parte de si, da sua história, das suas emoções! Num flash a memória parecia desdobrar-se a uma velocidade tão exagerada que teve medo de não conseguir processar tudo o que seria necessário para se manter a salvo e, sobretudo, são. Parou o carro. As lágrimas corriam livremente pelo seu rosto, sem saber o motivo, sem existir uma razão chorava como se o próprio mundo terminasse naquele momento. E tão depressa como apareceu assim se foi. Ligou novamento o carro e abriu a janela entretanto fechada. Pensou simplesmente que a brisa efectivamente lhe sabia bem...

quinta-feira, maio 31, 2007

Words...

Quando veio a noite, adormeci,
sabendo que assim a escuridão entraria no meu ser.
A escuridão perdida há algum tempo,
a companheira que abandonei e que traí.
Mas tu conheces bem o teu domínio,
moves-te com elevada precisão dentro de mim,
e novamente instalas toda a tua sabedoria.
Custa-me no início retomar-te, envolver-te.
Talvez que na verdade até sentisse a tua falta
mas sem nunca disso me aperceber.
Penso talvez em expulsar-te mas não sinto forças,
sei que secretamente preciso de ti aqui.
Tu que ocupas os meus espaços agora vazios,
tu que me levas aos locais que deveria ter esquecido,
tu que manténs viva uma memória que teimo em apagar.
Consomes-me, mas ao mesmo tempo és quem me move,
porque sem ti ficava o nada, o vácuo,
ficava simplesmente o que não quero e nunca quis confrontar.
Sem ti ficava unicamente o que não conheço,
sem ti ficava... só eu...

terça-feira, maio 29, 2007

segunda-feira, maio 28, 2007

Musica

Ia colocar letras de músicas deprimentes... deixo só os nomes das músicas

Rita Guerra - Se eu pudesse...
Rita Guerra - I Thought You Would Leave Your Heart With Me

segunda-feira, maio 21, 2007

Disperso...

Há momentos em que paramos na nossa vida para balanço. Umas vezes esse balanço é positivo, outras neutro e algumas vezes negativo. Outras alturas existem em que não somos nós que paramos a vida, ela consegue fazê-lo sozinha e confronta-nos com o que tão arduamente tentámos evitar. Diz o senso comum, chutar e bola para a frente. Mas nem sempre esse é o melhor caminho. Dou por mim parado outra vez. Dou por mim a considerar que a minha vida dava um belo livro, só não sei em que género poderia ser inserido, mas também isso pouco importa. Olho para trás e vejo uma vida que não posso afirmar ter sido muito complicada, o normal para a maior parte das pessoas. Vejo sobretudo crenças que se perderam com o tempo e de alguma forma ainda bem que assim foi. Somos seres em aprendizagem e isso faz de nós únicos. Aprendi muito, imenso, e acho que mesmo assim tendo a cair em alguns erros já vividos no passado. E vou aprendendo com os erros alheios, com as vidas que me acompanham mais ou menos próximas, mais ou menos intimas. Vejo na vida dos outros tantas coisas que são comuns a todos nós, revejo-me. E com isso diminuo a minha solidão, a minha diferença. Afinal todos sofremos, afinal todos somos posto a provação... sim, aprendi muito ao longo dos últimos tempos e quebrei talvez a maior de todas as minhas ilusões. Porque o amor é algo que se constrói e simplesmente não existe! Porque o amor é algo que em si não é suficiente e eu acreditava que sim! Porque o amor é algo que não se compreende, é algo que pode ter um fim. Sim, o amor é uma capacidade demasiado grande para a maior parte dos corações e por mais que ele tente sobreviver e proliferar, existem muito poucos locais onde se possa verdadeiramente refugiar. Eu amei. Eu amo. E cada dia que passa aprendo sobretudo a amar-me mais a mim porque esse é o único amor que posso garantir como eterno...

terça-feira, maio 15, 2007

Eu acredito!

Eu acredito, sempre acreditei. Desde o primeiro dia em que para ti olhei. Mesmo agora continuo a acreditar. O que procuras não é mais do que felicidade, mas nem mesmo isso consegues ver quando está à tua frente... Pensei que talvez desta vez fosse diferente. Que desta vez, só desta vez, fosses lutar por algo. Estava errado, demasiado errado. Deixaste-me partir sem sequer me olhar nos olhos. Dói-me a indiferença, dói-me o silêncio mais do que pensava que poderia suportar. Dói-me a tua ausência e a falta das rotinas. Estou em silêncio profundo e perdoa-me se desabafo aqui o que queria dizer-te desde aquele dia. Amo-te, e teria ficado com um simples gesto, uma simples palavra, se calhar apenas um simples olhar. Deixaste-me partir. Sem uma palavra, um gemido, uma discordância. Não fizeste um esforço. E eu sabia. Sabia que seria esse o resultado do meu monólogo. Sabia que no derradeiro momento a decisão seria minha, talvez a única... a mais dificil de tomar. E ao fim de tanto tempo ficou isto..., o silêncio. Um silêncio quase ensurdecedor. É doloroso e sobretudo injusto, mas continuo a acreditar! Porque eu acredito em muitas coisas que não chegaste a explorar. E acredito que talvez um dia consigas agarrar a mão, que mesmo num momento tão dificil, eu te soube esticar... ela continuará aberta à espera do teu retorno, preenchida com o mesmo amor que espero que compreendas que em mim continua a habitar. Amo-te e lamento que isso não seja algo que possa partilhar...

terça-feira, maio 08, 2007

ANOTHER SUITCASE IN ANOTHER HALL

I don't expect my love affairs to last for long
Never fool myself that my dreams will come true
Being used to trouble I anticipate it
But all the same I hate it -- wouldn't you?

So what happens now?
Another suitcase in another hall
So what happens now?
Take your picture off another wall
Where am I going to?
You'll get by, you always have before
Where am I going to?

Time and time again I've said that I don't care
That I'm immune to gloom, that I'm hard through and through
But every time it matters all my words desert me
So anyone can hurt me -- and they do

So what happens now?
Another suitcase in another hall
So what happens now?
Take your picture off another wall
Where am I going to?
You'll get by you always have before
Where am I going to?

Call in three months time and I'll be fine I know
Well maybe not that fine, but I'll survive anyhow
I won't recall the names and places of this sad occasion
But that's no consolation -- here and now

So what happens now?
Another suitcase in another hall
So what happens now?
Take your picture off another wall
Where am I going to?
You'll get by, you always have before

Where am I going to?
Don't ask anymore...

terça-feira, abril 24, 2007

Dez Coisas que valorizo em Mim

1 - a boa disposição
2 - a simpatia
3 - a educação (tanto transmitida pela familia como a académica)
4 - a minha forma de encarar a vida
5 - a calma
6 - a capacidade de ouvir os outros
7 - a paciência
8 - a inteligência (mesmo que às vezes tenha falhas graves lol)
9 - o meu complexo neurótico que me vai mantendo à tona
10 - a minha emotividade

Estas são coisas que valorizo em mim. Às vezes é importante parar para nos podermos apreciar e percebermos o nosso valor. Eu valho pelo que sou no meu todo, pelas qualidades e pelos defeitos. São eles que, em conjunto, me fazem como ser único. Tenho orgulho de mim e do que sou e é importante afirmar isto, mesmo que possa parecer desaquado, mesmo que possa parecer snob. Por vezes somos os únicos que nos valorizamos, há que aproveitar enquanto o conseguimos fazer! Um conselho... valorizem-se e não tenham receio de afirmar aos outros tudo aquilo que são de BOM!

terça-feira, março 06, 2007

Part of Your World Reprise (brazilian portuguese)

Este filme marcou a minha vida. Exactamente nesta versão brasileira. Esta era uma das minhas cenas favoritas. Dedico-a a todos aqueles que amo. Vocês sabem quem são!

terça-feira, fevereiro 13, 2007

domingo, fevereiro 04, 2007

Celine Dion - Because You Loved Me (live)

Porque é assim que eu sinto, porque é assim que eu quero que continue a ser...

Sia - Breathe Me

Encontrei o video clip depois... fica para quem quiser ver.

Sia - Breathe Me

Help, I have done it again
I have been here many times before
Hurt myself again today
And, the worst part is there's no-one else to blame

Be my friend
Hold me, wrap me up
UNFOLD me
I am small
and needy
Warm me up
And breathe me

Ouch I have lost myself again
Lost myself and I am nowhere to be found,
Yeah I think that I might break
Lost myself again and I feel unsafe

Be my friend
Hold me, wrap me up
UNFOLD me
I am small
and needy
Warm me up
And breathe me

Be my friend
Hold me, wrap me up
UNFOLD me
I am small
and needy
Warm me up
And breathe me
..................
Gosto desta música e lembra-me pessoas especiais.

segunda-feira, janeiro 22, 2007

Palavras presas ao vento

Tentei escrever um poema e não consegui. Decidi abri uma velha pasta onde guardava todos os meus antigos rabiscos, tentei obter alguma inspiração. Reli velhos poemas, ou devo antes dizer, velhos pedaços de mim? Encontrei o ser diferente que fui em tempos e percebi porque não havia mais poemas guardados em mim. Talvez até seja melhor assim, nunca achei que o meu jeito fosse muito para este tipo de escrita, tenho até dúvidas que a escrita seja um jeito de todo que faça parte das minhas habilidades. Mas que dizer? Sempre gostei de escrever, é pela escrita que ainda consigo expressar-me melhor. Nunca tive muito jeito com as palavras. Ou talvez seja mentira. Tinha em criança uma grande capacidade oral, falava horas a fio sem me cansar, sem me faltar a temática. Ninguém o diria olhando agora para mim. Dizem as histórias de encantar que o patinho feio se transforma em cisne. Mas a vida ensina-nos que nem sempre é assim. Pessoas há que já nascem cisnes, outras que nunca saem do estado de patinho feio. Mas nunca gostei de extremos, fico-me pelo meio caminho, mesmo que não seja esse o lugar escolhido para mim. Porém falava eu das palavras antes deste pequeno desvio. As palavras são libertadoras da alma, com certeza é por isso que fazem parte de tantos tipos de terapia. O que é na realidade um diário, uma carta escrita e que nunca vamos entregar, um desabafo, uma mensagem deitada ao mar ou queimada até às cinzas? São pequenas libertações, são desabafos, serão num estado último autos de fé. Fé de que as coisas serão diferentes, de que se expressarmos o que vai cá dentro tudo poderá ser melhor, mais bonito. Gosto da calma. Sempre gostei de ser uma pessoa diferente das demais. Sei hoje que muitos o interpretam como "mania", pode até ser verdade, não sei. Se calhar tenho a mania. Estou convencido que não pertenço a este meio, nunca pertenci em boa verdade. Nunca pertenci a lado nenhum. Chama-se a isso o resultado de mudar tantas vezes de sítio, tantas vezes de poiso. Mas sim, é um facto que sentirmo-nos desenquadrados é considerado muitas vezes "ter a mania". Ter a mania que se é "demasiado bom" para se dar com os restantes, para gostar das mesmas coisas... Há quem prefira o termo Snob. Não gosto da palavra confesso, porém parece-me que ninguém consegue ver a simplicidade das coisas que me guiam. Apetecia-me gritar ao vento que não gosto de ter a mania, não gosto de me sentir desenquadrado, não gosto de me sentir o patinho feio quando devia ser mais como um cisne. Mas já o afirmei anteriormente, sempre gostei de ser diferente. Talvez seja essa a minha mania! Li uma vez um poema que gostei muito. Já não me lembro exactamente das suas palavras mas tinham algo como:
"Cuidado quando fechares a tua mão
porque foi nela que guardei um bem precioso
foi nela que depositei uma vida
foi nela que reposei o meu coração"
.
Nem sempre é fácil ser diferente, muitas vezes torna-se demasiado doloroso. Chega até a ser completamente devastador. Muitas lágrimas sairam já do meu peito guiadas pelo desespero de quem se entrega demais. Quando nos damos demais é como se ficassemos cegos e às vezes é pela cegueira que acabamos por nos matar... Não queria ser um patinho feio, mas também não nasci para cisne. Continuarei calmamente à procura do meu lugar...